UM MONGE NEGRO

UM MONGE NEGRO

 

O artista que agora trazemos é uma pessoa envolta em uma atmosfera de tamanha serenidade que me faz acreditar que se não fosse músico, poderia ser um grande monge tibetano. Nossa conversa fluiu com tanta tranquilidade que não me dei conta do tempo, ao ponto de atrasa-lo para outro compromisso.

Negro de porte mediano, rastafári longo e natural, olhar sereno, fala mansa e bem modulada, simpatia em pessoa e um artista talentoso. Assim é Ronaldo Gama, um autêntico monge negro.

Ronaldo assim como o irmão Renato Gama, nasceu com DNA de artista. Negro periférico da ZL paulistana e filho de músico, Ronaldo relembra os tempos de infância, quando seu pai guardava o violão sobre o guarda-roupas, afim de protegê-lo das investidas dos filhos.

Sem acesso ao violão do pai, o jeito era brincar com um cabo de vassoura, simulando tocar uma guitarra, brincadeira que consumia boa parte de seu tempo.

Notando o interesse musical do pequeno Ronaldo, a família resolve fazer sua matrícula em uma escola de música, na qual o menino começa a estudar violão erudito, mas a paixão de Ronaldo era a música popular, fato que fez com que abandonasse um ano depois.

Aos onze anos, influenciado por seu tio materno Carlos Roberto, Ronaldo começa a tocar bateria.

Nesta ocasião Renato o irmão mais velho já tocava violão popular, tirando com facilidade as músicas das paradas de sucesso da época, o que também influenciou o jovem Ronaldo, que resolveu agregar o estudo de violão em suas atividades musicais.

Entre couros e cordas Ronaldo segue se envolvendo com a música e aos 14 se torna músico profissional tocando contrabaixo elétrico na banda do tio.

O curso natural da vida, invariavelmente nos conduz por caminhos onde colheremos os frutos de nossa semeadura. Com Ronaldo não foi diferente.

Do cabo de vassoura no quintal de casa ao baixo elétrico nos palcos da vida, uma trajetória contínua e ascendente. Aos quinze anos Ronaldo e o irmão Renato montam sua primeira banda, uma parceria que segue até os dias atuais.

Visionário, Ronaldo percebe que a capacitação é ferramenta indispensável para seus futuros projetos e decide retomar os estudos.

Simultaneamente passa a frequentar os cursos de música da ULM – Universidade Livre de Música, OMB – Ordem dos Músicos do Brasil e SESC Consolação. Em 2002 começa a estudar contrabaixo acústico com Frank Herzberg, onde permanece até hoje. Em 2007 se torna Bacharel em contra baixo elétrico e em 2011 conclui pós-graduação em canção.

Como músico, Ronaldo já dividiu palcos com Banda Raça Negra, Quinteto em Branco e Preto, Serginho Madureira, Orquestra Sinfônica Carlos Gomes, Nhocuné Soul, e muitos outros.

Ronaldo acredita na transformação do ser humano através da educação tendo por isso compartilhado seus conhecimentos como Educador no Projeto Guri e Fundação Gol de Letra. Atualmente é professos no Conservatório Municipal de Guarulhos.

Ronaldo Gama, um músico com atributos de monge, construiu sua carreira sobre o tripé da disciplina, resiliência e equilíbrio.

Hoje Ronaldo se realiza com sua música e o convívio ao lado de sua esposa Márcia e a filha Violeta.

 

 

Osmar Moura

Janeiro de 2019

 

5 comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: conteúdo protegido!