SOB O OLHAR DE UM ESPÍRITO AMIGO

SOB O OLHAR DE UM ESPÍRITO AMIGO

 

Alguns dentre nós chegam a este mundo e aqui permanecem até que a velhice consuma sua última centelha de energia. Outros passam apenas o suficiente para estruturar um lar, plantar uma semente e partirem antes mesmo que o broto se torne um pequeno arbusto.

Talvez essa fosse a programação para o casal José Antônio e Benedicta Anésia. O casal teve três filhos, Antônio Jorge, Maria Aparecida e o caçula Milton Tadeu.

Tadeu estava com apenas três anos quando dona Benedicta partiu para continuar sua trajetória em outras esferas, deixando para Antônio a tarefa de cuidar educar as crianças.  Aos poucos Antônio vai assimilando as novas responsabilidades, procurando dar o melhor de si no cuidado com os filhos.

A vida seguia seu rumo com a devida naturalidade e o destino tratava de improvisar seus ajustes. E assim de ajuste em ajuste Antônio conheceu Luzia, com quem passou a compartilhar seu lar e sua atenção. Os dias de Antônio tornam-se mais suaves, e mais felizes.  Luzia dava novo sentido à vida e cobria as crianças de amor e carinho como se fossem seus filhos biológicos.

Antônio era umbandista e quando possível levava o filho caçula ao terreiro. Os olhos do menino se encantavam com tudo ao seu redor, mas era o som dos atabaques que faziam seu coração bater mais forte.  Após o encerramento dos trabalhos Tadeu se esticava nas pontas dos pés tentando bater no coro dos atabaques, mas ainda não era alto o suficiente. Já que não conseguia tocar atabaque no terreiro, Tadeu começa a bater lata no quintal de casa em companhia dos primos, e assim a música entra na vida de Milton Tadeu da Silva.

Aos sete anos, Tadeu vai morar com os avós maternos na cidade de São Pedro, no interior de São Paulo. Aos domingos sua avó tinha o hábito de colocar seus LP’s para “rodar” na vitrola enquanto cuidava dos afazeres domésticos, o hábito da vó despertou a atenção do ouvido musical de Tadeu.

Ais dezessete anos, Tadeu monta sua primeira banda a Código Central , dedicada ao rock pop nacional, mas esse não era o ritmo que pulsava em suas veia. Insatisfeito, dissolve a Código Central e monta a Art. 12, uma banda com mais swing, inspirada em seu ídolo, Tim Maia.

Ao completar vinte e um anos, Tadeu retorna para São Paulo determinado a encontrar um emprego e realizar o sonho de se tornar músico. Nesta ocasião conhece os irmãos Oliveira. Sergio, Paulo, Renata e Camila que estavam iniciando uma banda que tinha como proposta tocar MPB (Música Preta Brasileira). Daí em diante é só sinergia. Essa união já completou treze anos de muito aprendizado, muito som e muita alegria tanto para os integrantes da banda, como para seu público.

Bacharel em Direito, graduado em Gestão Hospitalar, graduado em Direito Médico e saúde publica, Tadeu segue seus sonhos sob o olhar do espírito  amigo de Dona Benedicta Anésia.

 

                                                                                                                     Osmar Moura

Janeiro de 2019

8 comentário(s)

Deixe uma resposta para Osmar Moura Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *