O TROMBONE DE ALLAN

O TRAMBONE DE ABBADIA

Dona Rute Abbadia não imaginava que ao levar seu primogênito para os cultos da igreja evangélica que frequentava, estava preparando os caminhos que o tornariam músico. Durante os cultos o pequeno Allan se encantava com a música, em especial os metais.

Certa ocasião a igreja montou uma banda e instituiu um curso de música para os filhos dos fiéis. Allan dava o pontapé inicial. Algum tempo após iniciar as aulas Allan se transfere para o Projeto Guri, onde fica até completar dezoito anos. Se na escola regular Allan era um aluno mediano, na música era motivo de exemplo. Aos dezessete anos Allan passa a integrar o Berço do Samba de São Matheus, onde teve oportunidade de descobrir um novo universo.

Apesar das dificuldades para criar três filhos, sem a presença paterna, dona Rute, sempre incentivou o filho a seguir o caminho dos sonhos.

Bisneto de negros escravizados, Allan Abbadia cresceu ouvindo os relatos de sua avó, sobre a dura vida de seus antepassados, histórias que mais tarde iriam exercer forte influência em sua música.

Em 2016 durante uma viagem ao Rio de Janeiro, Allan conhece o Memorial dos Pretos Novos, local onde foram sepultados milhares de corpos negros. Naquela noite as histórias que ouvia da avó, reviveram em sua mente, quando os primeiros raios de sol surgiram no céu, Allan tinha concluído três composições: Noite do Valongo, Cais do Valongo e Pretos Novos.

O trombone de Allan já foi ouvido ao lado de nomes como Dona Ivone Lara, Elza Soares, Luiz Melodia, Mano Brown, Batuqueiros e Sua Gente, Baby Brasil, Pepeu Gomes, Zeca Baleiro, Tony Tornado, Beth Carvalho, Moacyr Luz, Adriana Moreira, Eduardo Gudin, Germano Mathias, Língua de Trapo, Inezita Barroso, As Bahias, Cozinha Mineira e Wilson das Neves.

Bacharel em trombone pela Faculdade Souza Lima Berklee, Allan rompeu fronteiras, já tendo sido ouvido na França, Inglaterra, Alemanha, Holanda, Rússia, Marrocos, Argentina e Estados Unidos, além de lecionar trombone no Conservatório Chatou em Paris.

Atualmente Allan Abbadia se prepara para lançar seu primeiro disco intitulado MALUNGOS onde traz um pouco de sua ancestralidade pelas histórias ouvidas da avó, e suas experiências como a visita ao Cemitério dos Pretos Novos e suas viagens entre Itaquera e os bares da Vila Madalena.

Obrigado dona Rute.

 

Osmar Moura

Março de 2019

1 comentário(s)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *